Website Protection™Site Scanner protects this website from security threats. SSL Certificate Authority

Não fazemos envios para outros países (Entregas somente no território japonês). (Delivery only in Japanese territory)

DHEA 100 Mg-60 cápsulas

Disponibilidade: Em estoque

¥4.100
  • Compre 2 por ¥3.700 cada e salvar 10%

Descrição rápida

NOVO!
Muito mais POTENTE 100Mg
Hormônio do Antienvelhecimento Natural
Aumenta a imunidade;
Diminui o risco de doenças cardíacas;
Melhora o controle do açúcar no sangue, reduzindo o risco de diabetes;
Previne e reverte a osteoporose;
Protege contra alguns tipos de câncer;
Reverte o efeito de aceleração do envelhecimento provocado pelo cortisol, o hormônio do estresse.
DHEA 100 Mg-60 cápsulas

Mais visualizações

  • DHEA 100 Mg-60 cápsulas

Detalhes

"O Super-hormônio do Antienvelhecimento"

DHEA-desidroepiandrosterona-100 Mg

O DHEA é a “superestrela dos super-hormônios”, sugere Dr. Wiliam Regelson, oncologista do Medical College of Virginia, em Richmond, no livro Super-Hormônio: O Antídoto Natural contra o Envelhecimento (Editora Record, 1998). Ele alega que o DHEA rejuvenesce praticamente qualquer sistema orgânico, e por isso “melhora o bem-estar, a aparência e o pensamento”.

A glândula supra-renal é responsável pela produção de DHEA. Na verdade, a cascata de hormônio da supra-renal começa com o colesterol, matéria prima para o hormônio cerebral pregnenolona. A pregnenolona é então transformada em DHEA. E o DHEA serve como matéria-prima para a fabricação de todos os outros hormônios importantes secretados pela glândula supra-renal – inclusive o hormônio do estresse cortisol.

O DHEA é o hormônio mais abundante no corpo humano. Mas a produção chega ao seu pico por volta dos vinte e poucos anos. Daí em diante, quanto mais envelhecemos, mais cai o nível de DHEA. Ao 40 anos, o organismo produz metade de DHEA que produzia antes. Aos 65 anos, a produção cai para 10 a 20% da quantidade ideal; aos 80, cai para menos de 5% do nível ideal.

Devido aos efeitos abrangentes do DHEA, o declínio de sua produção se faz sentir por toda parte, em todos os sistemas, órgãos e tecidos do organismo. O sistema imunológico é especialmente sensível a menor produção de DHEA, abrindo as portas não apenas aos vírus, bactérias e outros micróbios como também aos radicais livres e à caixa de Pandora de doenças degenerativas causadas por eles.

Diversos estudos sugerem que, quanto menor o nível de DHEA da pessoa, maior o risco de morte por doenças relacionadas com o envelhecimento. Em um estudo realizado por Elizabeth Barrett-Connor, famosa pesquisadora da área hormonal, médica, professora e chefe do departamento de medicina preventiva da Universidade da Califórnia, San Diego, monitoraram-se os níveis de DHEA em 242 homens de 50 a 79 anos de idade durante 12 anos. O estudo revelou forte correlação entre os maiores níveis de DHEA e o menor risco de morte decorrente de todas as causas. Entre os indivíduos que sobreviveram, o nível de DHEA era três vezes maior do que entre os que morreram.

Pesquisas indicam que baixos níveis de DHEA seriam responsáveis por muitas doenças degenerativas e pelo envelhecimento acelerado. Considerou-se o envolvimento do hormônio em diversos problemas de saúde, entre eles o Mal de Alzheimer, doenças auto‑imunes e outras doenças imunológicas, o câncer, a síndrome da fadiga crônica, o diabetes, doenças cardíacas, colesterol alto, problemas de memória, obesidade, osteoporose e distúrbios provocados pelo estresse.

E mais: indícios coletivos indiretos provenientes de mais de cinco mil estudos publicados sustentam com veemência a função antienvelhecimento do DHEA. Os cientistas hoje dispõem de provas de que o DHEA:

Aumenta a imunidade;
Diminui o risco de doenças cardíacas;
Melhora o controle do açúcar no sangue, reduzindo o risco de diabetes;
Previne e reverte a osteoporose;
Protege contra alguns tipos de câncer;
Reverte o efeito de aceleração do envelhecimento provocado pelo cortisol, o hormônio do estresse.

DHEA tem sido conhecido por aumentar a função imunológica. É de importância crucial para o desenvolvimento de certas células do sistema imunológico maduro e maior produção de anticorpos. Um novo estudo descobriu que o número de células secretoras de interferon-gama correlacionada com os níveis séricos de DHEA nos homens, e que a atividade dessas células foi associado com DHEA em mulheres antes da menopausa. Assim, o DHEA parece estar envolvido na modulação da produção de citocinas. O mesmo é verdade para um de seus metabolitos, androstenediol, que foi mostrado para proteger a função da medula óssea e resistência à infecção após a exposição à radiação em roedores ainda mais eficaz do que o DHEA. Androstenediol também foi mostrado para proteger contra a infecção com o vírus letal da gripe A. Como a infecção produz um aumento no cortisol, que por sua vez suprime o sistema imunológico, que seria lógico tentar, este counterregulate imunossupressão com antiglucocorticoide como DHEA.

Os principais benefícios do DHEA são:

 ✔ Uma melhoria importante e rápida do nível de energia e da vitalidade, perceptível após algumas semanas apenas em 82% das mulheres e 67% dos homens (de acordo com um estudo realizado à Universidade de San Diego, Califórnia).

  ✔Uma estimulação do sistema imune que reforça a resistência às doenças. 

Uma melhor resistência ao stress. uma modulação das outras funções hormonais, que pode contribuir para reduzir as perturbações associadas ao menopausa e o andropausa.

Re-hidratação cutânea, com melhora da atividade das glândulas sebáceas, produtoras de substâncias que permitem a pele guardar a sua flexibilidade e defender-se contra as agressões microbianas e do ambiente geral.

Diminuição da pigmentação ligada ao envelhecimento, em especial a nível do rosto.

Melhoria dos tecidos ósseos (sobretudo nas mulheres), interessantes para a utilização em prevenção das fraturas ósseas espontâneas nas pessoas idosas.

  ✔Uma libido aumentada (freqüência das relações, desejo, sinais físicos e psíquicos).

  ✔Uma diminuição da massa gordurosa e aumento da massa muscular.

O DHEA é produzido em laboratório a partir de uma Saponina de origem vegetal denominada Diosgenina. O corpo humano não dispõe das enzimas necessárias para efetuar esta conversão. As alegações sobre produtos que estimulam "naturalmente" a produção de DHEA por conseguinte são privadas de qualquer fundamento.

Sobre os resultados do DHEA em seres humanos, foram realizados vários estudos. Observou-se que a curto prazo foi demonstrado sem ambigüidade que o DHEA melhora a vitalidade e o bem-estar de maneira espetacular, reforça o sistema imunológico, reduz os sintomas da Menopausa, ajuda a prevenir a Osteoporose, melhora as funções neurológicas, a memória e a qualidade do sono, além da libido tanto masculina quanto feminina e da resposta aos estímulos sexuais.

A longo prazo observa-se que, em resultados preliminares, o DHEA afeta de maneira positiva a resposta do organismo no que diz respeito ao câncer, as doenças cardiovasculares, ao diabetes, a obesidade, ao lupus sistemático eritematoso e a doença de Alzheimer. Estes estudos estão prestes a comprovar a hipótese básica da teoria endócrina do envelhecimento em que muitas doenças degenerativas e de deterioração funcional resultam da baixa da produção de certos hormônios e, assim, a suplementação hormonal permite parar, ou mesmo inverter o processo.

DHEA gera efeitos colaterais?

DHEA não gera efeitos colaterais 
Entende-se que por ser uma substância já produzida pelo organismo.
DHEA não é um "remédio" ou medicamento por isso o F.D.A U.S.A o classifica como suplemento dietético.
Sendo assim ele não entra em choque com o organismo pois o seu organismo já o produz.
O que ocorre é apenas uma reposição natural do que estar faltando e diminuindo.
Portanto não existe nenhum efeito colateral relacionado.
Porém a mal administração sim pode gerar efeitos adversos e não o produto em si próprio.
O Dr. Nestler, pesquisador do Medical College of Virginia, da Virginia Commonwealth University em Richmond, ministrou uma dose de 1600mg de DHEA
Ao dia por quatro semanas, para jovens saudáveis do sexo masculino, sem que tenha surgido qualquer efeito colateral. 
Com esta dosagem houve uma redução no colesterol e na gordura do corpo, com a maior reação em obesos.
Sugestão de uso:
Tomar uma cápsula (1) na parte da manhã.
Informações Nutricionais:
Tamanho da dose: 1 cápsula vegetariana
Quantidade por porção- Dose Diária
Dehidroepiandrosterona (DHEA) 100 mg
Outros Ingredientes:
Celulose microcristalina, celulose vegetal (cápsula).

Avisos:

Manter fora do alcance das crianças.
Não use se estiver grávida ou amamentando.
Armazenar em local fresco e seco.

Seja o primeiro a avaliar este produto

Tags do produto

Use espaços para separar tags. Use aspas simples (') para frases.


   Website Protection™Site Scanner protects this website from security threats. SSL Certificate Authority